segunda-feira, 25 de janeiro de 2016

Ensaios Sobre o Tempo e o Infinito



Muito se falou na história do pensamento acerca desses conceitos, mas muito pouco pode-se avançar em suas considerações. De modo que nosso interesse aqui é alargar ainda mais esta discussão com o intuito de contribuir com a filosofia e as demais áreas do conhecimento que se dedicam a estudar estes conceitos, como a exemplo da matemática e da física.

Algumas questões podemos levantar quando a discussão é o conceito de tempo e, porquê não, também, o de infinito. Vejamos algumas:



Em qual tempo, exatamente, acontece um fato?
O que é um momento?


Uma vez que o tempo é um conceito dado ao constante movimento, o que nos remete ao conceito de infinito como uma característica intrínseca do conceito de tempo, uma vez que no tempo não há ponto fixo algum, apenas temos a ideia daquilo que passa constantemente, onde não há medida exata ou fixa na qual possamos determinar o "parado", o "estático",  o início de uma ação, de um ato, de um acontecimento, podemos notar que o tempo se constitui apenas um nome, como afirmou Berkeley, ao que completo: dado àquilo que se passa sempre. Deste modo, não pode ser, de inicio, retrógrado, porém, isso é algo indeterminado. tal conceito, realmente não se constitui em um objeto da sensibilidade - como afirmou Kant brilhantemente -  contudo, Kant não o fundamentou na força e no movimento, o que, para mim, é fato, a saber, que o movimento dá origem a ideia de tempo, e este deve ser entendido como uma "contagem" infinita desse movimento.

Eis aqui o problema crucial, a saber, que cada fato, cada movimento ou ação, mesmo dos entes considerados inanimados, não possui um momento específico, pontilear, para começar ou terminar, o que gera um princípio de eternidade.

Ora, se o tempo é sempre constante - ao modo de Heráclito - o mesmo não possui partes, nem pontos, nem inicio e nem fim. Algo constante pode ser simbolizado da seguinte maneira:

_________

Diferentemente de:

.....................

Assim, o tempo estando enquadrado no primeiro modo, não pode possuir nenhuma unidade de medição suficiente para descrever a sua natureza. Logo, no conceito de tempo podemos atrelar os conceitos inseparáveis de força, movimento, tempo, infinitude, eternidade, nesta ordem.


Pois bem, o tempo ocorre no infinito. Mas se o infinito é comumente entendido como aquilo que não tem fim, o que seria desta definição de infinito se dissermos que nada e tudo não tem fim, que começo, meio e fim são infinitamente, começo, meio e fim?


Autor: Davi Gadelha Pereira

Nenhum comentário:

Postar um comentário

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

cutus